Agricultura, saúde e educação são as áreas em que o BM destinou os seus financiamentos em Angola.

Esta assistência financeira do BM, prevista para os próximos três meses visa a protecção social, isto é, para proteger as populações mais vulneráveis.

À margem de um encontro com a Comissão Económica do Conselho de Ministros, Hafez Ghanem realçou que este novo apoio financeiro que o BM vai conceder a Angola resulta da confiança nos programas que estão a ser implementados pelo Governo.

Disse que a equipa económica realçou a necessidade de apoio à protecção social. A ajuda visa enfatizar a confiança dada às reformas implementadas pelo Governo de Angola.

“São reformas bastantes importantes. Angola é um país importante, por esta razão é que nós estamos a conceder este apoio ao país. São reformas que precisam de apoio, por isso é que o Banco Mundial vai apoiar”, afirmou o vice-presidente do BM, desde quarta-feira.

Durante a reunião, a equipa Económica e o vice-presidente Hafez Ghanem discutiram ainda questões relacionadas com o apoio que o BM pode prestar à agricultura e como o sector agrícola pode crescer, bem como discutiram como o banco pode conceder apoio ao sector das minas.

Entretanto, o ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, reiterou, após o encontro, que o apoio do Banco Mundial decorre da confiança nas políticas macroeconómicas do Governo angolano.

Além de encontrar-se com a equipa económica, aquele gestor do Banco Mundial foi recebido hoje, em audiência, pelo Presidente da República, João Lourenço, com quem abordou, também assuntos relacionados ao novo apoio financeiro que o banco pretende conceder a Angola.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.