A construção do centro diminuirá os custos dos assistidos que são obrigados a se deslocar a Luanda ou em outros pontos do país para o efeito.

O sector controla, na Lunda Norte, 15 mil  antigos combatentes e veteranos da pátria.

No memorando apresentado ao ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, João Ernesto "Liberdade", os ex-combatentes apelam rigor e transparência no processo de recadastramento que inicia a 26 do mês em curso, para se excluir definitivamente os "fantasmas" no sistema e permitir que o Executivo tenha políticas bem definidas para o processo de reintegração social dos assistidos.

Solicita igualmente a cedência de residências  na centralidade e a melhoria da parceria  com os demas ministérios,  sobretudo os da Agricultura,  Comércio e Indústria, Trabalho e Segurança Social, para facilitar a criação de cooperativas e créditos.

Os assistidos apelaram ao ministério a rever a questão do aumento dos subsídios de pensão.

Em resposta, o ministro João Ernesto "Liberdade" lembrou que as solicitações feitas constam do primeiro memorando apresentado em 2018.

Quando a isenção no pagamento dos serviços da água e  da energia, o ministro adiantou que será efectivado depois da conclusão do processo de recadastramento.

O sector controla, em todo o país, 162 mil e 300 assistidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.