As forças de segurança da cidade de Polgahawela detiveram na segunda-feira Shakthika Sathkumara, 33 anos, depois de um grupo de monges budistas ter apresentado uma denúncia. Sathkumara está em prisão preventiva durante nove dias por incitação ao "ódio religioso".

"Um grupo de monges reclamou que a referência a atividades homossexuais no clero insultava o budismo", afirmou um porta-voz da polícia.

O texto sugere, de forma indireta, que monges budistas, que fazem voto de castidade, se envolvem em práticas homossexuais. A história, escrita em cingalês, foi publicada em vários jornais locais e na conta do Facebook do autor.

A ONG Free Media Movement condenou a detenção e acusou a polícia de atacar a liberdade de expressão.

Em tese, a homossexualidade é ilegal no Sri Lanka com base numa lei de 1883, ainda do período colonial britânico, e pode resultar em penas até 12 anos de prisão, mas as condenações são raras.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.