O Elinga Teatro, em Luanda, vai homenagear José Patrocínio, conhecido como “Zetó”, esta terça-feira, às 14h (hora local). O funeral do activista angolano, que morreu no sábado, aos 57 anos, realiza-se esta terça-feira. Por outro lado, a partir das 14 horas, o cortejo fúnebre sai da sede da OMUNGA, até ao cemitério Municipal da Catumbela.

José Patrocínio morreu na madrugada de sábado, em Benguela, por doença. O activista era natural do Lobito, província de Benguela e formado em agronomia. Fundou a OMUNGA, organização cívica e de defesa dos direitos humanos, e interveio em vários casos de demolições em Angola. Em 2010, lançou um documentário intitulado “Não partam a minha Casa”.

Este ano, José Patrocínio integrou a comitiva de activistas angolanos de organizações da sociedade civil que foi recebida pelo Presidente angolano João Lourenço.

Quando Angola passou a fazer parte do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, em 2018 e por dois anos, José Patrocínio relativizou o entusiasmo das autoridades mas expressou que era “dar uma oportunidade e estimular para que haja mudanças” e admitiu que depois da eleição de João Lourenço “o espaço para intervenção começa a aumentar”.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.