O domínio de algumas frases em espanhol está a ser indispensável aos pré-candidatos do partido republicano, que disputam o importante eleitorado hispânico do Estado da Flórida.

Nas vésperas de mais umas primárias republicanas a expectativa aumenta neste Estado cujo papel nas últimas eleições à Casa Branca tem sido importante.

A liderar as sondagens até o momento está o ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney, seguido de Newt Gingrinch e Rick Santorum. Recorde-se que cada um deles conseguiu ganhar num dos três Estados onde já ocorreram as prévias: Ohio, New Hampshire e Carolina do Sul.

A estratégia adoptada, nos últimos dias, por Romney e Gingrinch para conquistar a simpatia dos eleitores da Flórida  é falar em espanhol. Os hispânicos representam 13,1% dos eleitores registados.

Porém, falar espanhol, o segundo idioma do Estado, não parece ser uma garantia para passar a mensagem.

Ao contrário da visão tradicional, os eleitores hispânicos da Flórida hoje são um grupo diversificado, não apenas na sua origem, mas também nos seus anseios e escolhas políticas.

Os hispânicos, que eram na sua maioria republicanos, passou a votar nos democratas, desde 2008, graças ao fenómeno Obama. Por outro lado, esta comunidade não é nada heterogénea.  O sul da Flórida é predominantemente cubano e o centro é porto-riquenho.

De acordo com dados recentes publicados pela Divisão Eleitoral da Flórida, há 1.473.920 eleitores de origem latino-americana registados no Estado, pouco mais de 13% do total.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.