Ídolos da juventude da Costa do Marfim, Drogba juntou-a a A’Salfo para, na segunda fase do projeto de ajuda 'Caravana da Solidariedade contra a COVID-19', pagar materiais higiénicos e alimentos às famílias de alguns dos bairros mais necessitados da capital económica do país. O dinheiro foi disponibilizado pelas próprias fundações do antigo jogador e do artista, assim como pela União Europeia e a empresa imobiliária Addoha.

No total, mil famílias de 11 cidades do distrito de Abidjan, o qual compreende cinco milhões de habitantes, já receberam materiais de prevenção contra o novo coronavírus (sabão e álcool em gel), além de alimentos (arroz, óleo e açúcar), de acordo com a organização da ‘Caravana da Solidariedade’.

"É hora de mostrar solidariedade, ajudar a população mais desfavorecida", disse Didier Drogba, hoje com 42 anos, recordando que em causa está uma "responsabilidade cidadã".

"Muitos não têm meios de ficar confinados por várias semanas. A vida quotidiana de um jovem africano não é a mesma de um jovem francês", disse o avançado, e também ex-capitão da seleção costa-marfinense, que se destacou nos franceses do Marselha antes de rumar ao Chelsea de Mourinho, onde se transformou numa lenda do clube e do futebol mundial

Drogba, que fora dos relvados veio a destacar-se pela suas diversas ações de filantropia em África, nomeadamente no seu país, já antes tinha oferecido ao governo da Costa do Marfim, a 12 de Abril, o hospital da sua fundação, para que fosse transformado num centro de deteção para possíveis infetados com COVID-19.

Até ao momento, a Costa do Marfim registou 688 casos de coronavírus, com seis mortos confirmados, de acordo com o último balanço oficial do governo, publicado na quinta-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.