Bombardeada, destruída e pilhada

A 13 de fevereiro de 1945, bombardeiros Avro Lancaster deixaram a Inglaterra em direção a Dresden. Às 21h39, as sirenes soaram na cidade. O terror estava a caminho. Em apenas 23 minutos, o centro da cidade foi deitado abaixo, tomado pelas chamas. Dois ataques britânicos e um americano destruíram 15 quilómetros quadrados da cidade. - picture-alliance/dpa

Hofkirche em ruínas

O bombardeamento também causou sérios danos à Hofkirche, uma das maiores igrejas da Saxónia, construída entre 1739 e 1755, na mesma época em que a famosa Frauenkirche (Igreja de Nossa Senhora, protestante), que fica a apenas 300 metros de distância. O telhado e as abóbodas internas do templo católico desmoronaram. - picture-alliance/dpa

Lutero não foi poupado

O monumento ao reformador Martinho Lutero, em frente à igreja Frauenkirche, também foi danificado durante o bombardeamento. A estátua foi criada por Adolf von Donndorf em 1861, mas inaugurada somente em 1885. Lutero visitou Dresden entre 1515 e 1517. - picture-alliance/akg-images

Memorial

A Frauenkirche também ficou destruída pelas bombas. Erguida entre 1726 e 1743, a igreja barroca foi deixada em destroços até 1993, servindo de memorial à destruição sem sentido provocada pela guerra. Mas foi reconstruída mais tarde. Um artista britânico, cujo pai participou no bombardeamento, foi quem reconstruiu fielmente a cruz na torre da igreja. - picture alliance/dpa

Símbolo reerguido

A Frauenkirche foi reconstruída entre 1994 e 2005, graças a doações de todo o mundo. Os custos da reconstrução rondaram os 130 milhões de euros. O bairro barroco em volta da igreja de 91 metros de altura tornou-se o novo centro turístico da capital da Saxónia. Dresden reconquistou um dos seus maiores símbolos. - picture-alliance/dpa/M. Hiekel

Nenhum sinal da destruição

Muitos turistas passeiam hoje pelo centro de Dresden e ficam admirados com a reconstrução completa da cidade. A igreja católica Hofkirche tornou-se necessária na Saxónia protestante porque Augusto, o Forte, converteu-se ao catolicismo para usar a coroa real polaca. A igreja foi construída entre 1739 e 1754. - picture alliance/Johanna Hoelzl

Com novo brilho

O monumento a Lutero foi reerguido em 1955. Até à sua restauração, entre 2003 e 2004, a estátua em frente às ruínas da Frauenkirche era também um alerta contra a guerra e a destruição. Hoje pertence à área do chamado Neumarkt, um largo no centro da cidade. A base da estátua serve como ponto de encontro para jovens e turistas. - imago/Chromorange

A "Florença do rio Elba"

A capital da Saxónia é novamente uma das cidades mais bonitas da Alemanha. Dresden é chamada também de "Florença do Elba" devido à sua arquitetura barroca. A cidade tem muitas atrações para oferecer e é um importante destino turístico. Dresden tem aproximadamente 550 mil habitantes e é uma das 12 maiores cidades alemãs. - picture-alliance/dpa/A. Lander

Lembrança do horror

No antigo reservatório de gás de Dresden, os visitantes podem ficar com uma noção dos estragos causados pela guerra. O artista Yadegar Asisi construiu uma grande parede panorâmica com a imagem da cidade destruída. É possível ver o centro de Dresden logo após o bombardeamento: está tudo em ruínas, há colunas de fumo em várias partes do centro e da Neustadt e chamas no sul. - Getty Images/Matthias Rietschel

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.