O guineense colocava-se na entrada do comando municipal de Talatona e abordava os familiares dos detidos, que pretendiam alguma informação, solicitando dinheiro em troca da suposta solução que oferecia.

O director do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior (Mnint), intendente Mateus Rodrigues, não precisou a quantidade de dinheiro extorquido, mas adiantou que o guineense praticava esta acção já a algum tempo.

O suposto ajudante do procurador é comerciante e reside em Angola há mais de cinco anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.