Segundo o governante, que falava numa reunião do Conselho Provincial de Auscultação as Comunidades, as populações afectadas pela seca nos seis municípios da província, são abastecidas por 20 camiões cisternas, que são insuficientes para atingir com regularidade os 400 reservatórios de água existentes na região.

Segundo o governador, estes camiões apenas fazem duas viagens por dia devido a distância entre as localidades e os pontos de abastecimento, pelo que para minimizar a situação seria necessário a disponibilidade de mais viaturas.

Virgílio Tyova fez saber que a província recebeu 20 tractores com cisternas que vão ajudar na transportação da água potável às zonas onde os camiões não conseguem chegar, devido ao estado acidentado do terreno.

“Precisamos da verbas adicionais nos orçamentos de 2020, 2021 e 2022 para atender os programas de aquisição de produtos alimentares, até que as soluções definitivas estejam prontas”, referiu.

O governante sublinhou que a província do Cunene precisa de 35 mil toneladas de bens alimentares por mês para reduzir a carência que afecta a população dos municípios do Cuanhama, Cuvelai, Cahama, Namacunde, Ombadja e Curoca.

O Cunene vive desde o mês de Outubro de 2018 uma acentuada seca, que já causou a morte de 30 mil cabeças de gado, entre bovino, caprino e suíno.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.