O acusado, igualmente de 22 anos, desferiu golpes de catanas na cabeça e membros inferiores, causando a morte imediata da jovem.

O jovem, que já está detido, reconheceu a autoria do crime, justificando ter morto a namorada por esta  se ter envolvida e engravidada de um outro jovem.

Reconheceu que  coabitava na mesma residência há vários meses, mas a traição levou-o a executar a namorada.

“Estou arrependido pelo que fiz”, disse o jovem.

O director provincial do Serviço de Investigação Criminal, subcomissário Oliveira da Silva, aconselha os casais a manterem sempre um diálogo permanente na busca de soluções para as adversidades da vida.

Aconselhou a juventude a um comportamento exemplar, evitando acções que os possa colocar perante a justiça.

Este é o terceiro crime do género que acontece este ano no Sumbe. O penúltimo ocorreu no dia 14 de Fevereiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.