Os postos estão a funcionar nas administrações distritais no Palanca, Sapu, Nova Vida e Golfe, com dois técnicos cada e  visa dar resposta ao crescente  número de mordeduras de cães no município e para a prevenção  e combate à raiva .

Em declarações à Angop, o responsável da área de Canil Gatil, Armando Marimba, esclareceu  que a prevenção é muito importante, porque o animal vacinado fica protegido do vírus da raiva e deve ser vacinado uma vez por ano.

Disse que os postos têm registado muita aderência, em média são vacinados 70 animais, acrescentando que a Administração esta a trabalhar em colaboração com o Departamento Provincial  do Instituto dos Serviços de Veterinária de Luanda  (ISV), que fornece as vacinas.

Além das equipas fixas, Armando Marimba, informou que haverá também grupos móveis para abranger grande parte dos animais.

Os distritos, continuou,  estão a realizar trabalhos de sensibilização e mobilização dos munícipes sobre a importância e necessidade da vacinação e sobre o perigo da doença da raiva que é fatal em homens e animais.

De acordo com dados estatísticos da Direcção Municipal da Saúde, de Julho a Dezembro de 2017 foram registados 822 casos de mordedura de cães.

Em relação aos animais vadios, disse que a Administração não possuiu meios técnicos para  a recolha.

Armando Marimba disse que o município precisa também de um canil gatil para depositar os animais recolhidos na via e para avaliação do estado serológico dos animais agressores, suspeitos de raiva.

Angola:  Comércio no Kilamba Kiaxi vai criar feiras temáticas