Os cidadãos em causa foram detidos no posto de controlo da comuna do Alto-Hama, no quadro das medidas de prevenção e combate à gripe por novo coronavírus (covid-19).

A informação foi confirmada à ANGOP pelo director da Saúde nesta municipalidade, José Pedro Muetunda, salientando que os aludidos violadores tinham como destino às províncias do Bié e Cuando Cubango.

Depois de descobertos, de acordo com o responsável, foram submetidos à quarentena institucional obrigatória, findo o prazo de 14 dias, os quatro cidadãos foram encaminhados à Procuradoria-geral da República junto do Tribunal da Comarca do município do Bailundo, para a devida responsabilização civil e criminal.

Uma fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC) disse que os quatro violadores da cerca sanitária de Luanda, juntam-se a outros oito que chegaram ao Huambo no passado mês de Junho.

Por sua vez, o administrador do município do Londuimbali, Celestino Mela, reiterou a necessidade de observância rigorosa das medidas de prevenção contra a pandemia, incentivando, deste modo, a cultura da denúncia contra os violadores da cerca sanitária.

Trata-se de um posto, montado numa zona (comuna do Alto Hama) que permite a ligação com as províncias do Cuanza Sul, Bié, Benguela, sendo também a principal via que liga esta região à capital do país (Luanda).

Além deste, a província do Huambo tem montados igualmente postos de rastreio no município do Cachiungo, que liga a província do Huambo às regiões do Bié e Cuando Cubango, assim como o da comuna do Cuima (Caála), com ligação às províncias da Huíla e Namibe, bem como no do Chinjenje, que liga esta região as de Benguela, Huíla e Namibe.

Com uma extensão territorial de 34.270 quilómetros quadrados e uma densidade populacional estimada em dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, a província do Huambo, com 11 municípios, é limitada pelas províncias do Cuanza Sul (Norte), Bié (Este), Huíla (Sul) e Benguela (Oeste).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.