De acordo com a ministra, que falava na habitual conferência de imprensa de actualização de dados da Covid-19, tal medida deve-se ao facto de serem as duas províncias que registam, até à presente data, casos positivos e merecerem de uma atenção especial.

Segundo o Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade, a partir de 24 de Junho, as igrejas reabrem com limitação de até 50 por cento da capacidade dos locais de culto, não superior a 150 pessoas.

As instituições religiosas poderão celebrar actividades 4 dias por semana, sendo que os restantes dias são reservados à higienização dos locais de culto.

Deverão higienizar as superfícies, as mãos à entrada dos locais de culto, uso obrigatório de máscara facial, distanciamento de, no mínimo, 2 metros entre fiéis, ventilação constante dos espaços de culto e higienização obrigatória após cada celebração.

O Executivo determina ainda a não utilização ou distribuição de folhetos ou documentos, durante os cultos, e a colocação dos recipientes para oferta em locais de fácil acesso, entre outras medidas de prevenção e segurança.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.