Segundo o governador, que falava à imprensa, além da fronteira norte que a região partilha com a RDC, maior atenção deve ser prestada também à fronteira sul, que delimita o Zaire com a província do Bengo, de modo a impedir a violação da cerca sanitária por cidadãos provenientes da capital do país, Luanda.

Para o efeito, o governante orientou para que as forças de defesa e ordem pública, estacionadas no posto do rio Loge (Nzeto), limítrofe com o Bengo, a reforçarem a vigilância, incluindo os técnicos da saúde ali colocados.

Lembrou que, a melhor arma para o combate contra este inimigo invisível continua a ser a prevenção, tendo lamentado a falta de capacidade de testagem em massa na região que permitiria aferir a prevalência ou não do vírus entre a população local.

A província do Zaire, a par das outras 16 regiões do país, excepto de Luanda e Cuanza Norte, está sem nenhum caso positivo confirmado da covid-19, até a presente data.

A região partilha uma fronteira de 310 quilómetros com a República Democrática do Congo, país que conta já com centenas de casos positivos.

Angola totaliza já 155 casos positivos da Covid-19, dos quais 152 em Luanda e três no Cuanza Norte (65 importados e 90 de contaminação local), com sete óbitos, 84 activos e 64 recuperados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.