Os religiosos foram surpeendidos sábado último a celebrar e participar de um culto debaixo de uma árvore, no bairro da Cahala, arredores da cidade de Malanje, onde reuniram outras 20 pessoas, contrariando assim o Decreto Presidencial sobre o Estado de Emergência, que proíbe a realização de cultos.

Os réus, cujas penas foram suspensas por um período de dois anos, têm idades compreendidas entre 16 e 67 anos e estão sujeitos ao pagamento de uma taxa de justiça equivalente a 10 mil kwanzas e quatro mil kwanzas de emolumento cada ao defensor oficioso, de acordo com a sentença lida pela juíza da causa, Hilária Bunga.

Desde Março, o Tribunal Provincial de Malanje já julgou pelo menos 100 indivíduos  implicados no crime de especulação de preços e desobediência ao Estado de Emergência, em vigor no país desde 27 de Março deste ano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.