Na província do Cuanza Norte, mais de 100 cestas básicas, constituídas por bens alimentares, foram distribuídas às famílias confinadas nas duas cercas sanitárias criadas na cidade de Ndalatando, no âmbito da prevenção e contenção da expansão da pandemia.

A informação foi prestada à Angop, pela directora do Gabinete Provincial da Assistência Social, Victória Braga, esclarecendo que o apoio é direccionado essencialmente às famílias vulneráveis residentes nas áreas submetidas a cerca sanitária.

Dos bens entregues constam arroz, feijão preto, óleo, massa, fuba de milho, vinagre e água mineral.

Victória da Braga disse que a referida ajuda foi direccionada a 65 indivíduos da cerca sanitária do bairro Sambizanga e 35 da cerca da rua dos Índios (Tomás José Marques), identificados como pessoas vulneráveis, pois não há disponibilidade para apoiar todos os cidadãos confinados.

Em Cacolo, província da Lunda Sul, sessenta e duas famílias desfavorecidas receberam de cestas básicas, igualmente com vista a diminuir a carência alimentar na vigência do novo coronavírus no país e no mundo.

Arroz, fuba de milho, feijão, massa, óleo alimentar e açúcar fazem parte dos bens alimentares entregues, onde se inclui o material de biossegurança, numa iniciativa da Administração Municipal do Cacolo, em alusão ao 86º aniversário da vila, que hoje se comemora.

Em declarações à ANGOP, o administrador municipal adjunto de Cacolo, Evaristo de Oliveira Dala, disse que o gesto visa mitigar a fome nas famílias carenciadas, numa altura em que se vive em situação de calamidade face à covid-19.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.