O director do Gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da província do Huambo, Jeremias Piedade, informou que os pastores foram apanhados  em flagrante a celebrar culto num dos templos da igreja do bairro em causa, com um total de 35 membros.

O responsável disse que entre os membros destaca-se a presença de crianças e idosos.

Jeremias Piedade considera ser uma irresponsabilidade a atitude dos líderes religiosos, visto que o Estado de Emergência Nacional decretado pelo Presidente da República, João Lourenço, para o combate ao COVID-19, está em vigor desde às 00H00 horas de sexta-feira (27).

“Os aludidos pastores já estão a contas com a justiça e, em breve, deverão responder civil e criminalmente”, salientou.

Com a declaração do Estado de Emergência Nacional está interdito a circulação e a permanência de pessoas na via pública, nos próximos 15 dias, devendo os cidadãos estarem submetidos ao recolhimento domiciliar.

De igual modo, está interdita a circulação de moto-taxistas, bem como a venda de bens não essenciais nos mercados informais e a venda concentrada na via pública ou locais inapropriados.

O não cumprimento da ordem constitui crime de desobediência punível nos termos da Lei Penal, podendo dar lugar a detenção imediata.

A província do Huambo, no planalto central de Angola, conta, neste momento, com 27 casos suspeitos de Covid-19, que se encontram em quarentena domiciliar.

A província do Huambo, Planalto Central de Angola, conta dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, distribuídos em 11 municípios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.