Em nota a que a Angop teve acesso hoje, domingo, Catoca informa que em função do actual contexto, a empresa implementou um regime especial de trabalho com duração até 11 de Abril do ano em curso, prorrogável em função das circunstâncias da evolução da doença.

De acordo com a nota, o regime especial prevê a paralisação parcial dos trabalhos de Catoca, mantendo apenas alguns serviços operacionais, em conformidade com as instruções emanadas pelas autoridades sanitárias.

“As restrições implicam a paralisação de todas as operações de produção da Central de Tratamento nº1 (CT1), assim como a paragem total dos trabalhos nas concessões Tchiafua, Gango e Luangue, estando apenas acautelada a segurança das instalações e dos meios fixos”, lê-se na nota.

Para manter operacionais serviços considerados essenciais, foram indicados um número reduzido de funcionários que deverão permanecer na Vila de Catoca e que estarão em regime de isolamento e sujeitos a um rigoroso sistema de vigilância epidemiológica, implementados pela unidade sanitária da empresa com o apoio do Gabinete provincial da Saúde.

A Sociedade Mineira de Catoca está localizada na província da Lunda Sul, sendo a quarta maior mina do mundo, explorada a céu aberto e responsável por mais de 75 por cento da produção de diamantes do país.

Com 25 anos de existência, Catoca é a empresa que mais gera empregos no sector privado da província da Lunda Sul, empregando mais de cinco mil pessoas, entre directos e indirectos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.