O responsável, que discursava no acto comemorativo do 43º aniversário da MGA, que decorreu no comando da Região Naval Norte, considerou imprescindível a atribuição de mais meios modernos, bem como a construção e reabilitação de infra-estruturas de apoio.

Segundo o oficial, Angola deve continuar a investir na modernização da Marinha de Guerra, se quiser afirmar-se como uma potência a nível desta subregião de África.

Considerou um desafio latente o combate aos diversos crimes na orla marítima e fluvial, entre os quais, o tráfico de drogas, seres humanos, mercadorias, a pesca e a imigração ilegais, entre outras infracções.

Segundo Noé Rodrigues Magalhães, a situação geográfica do município do Soyo é complexa, onde se cruzam o oceano atlântico e o rio Zaire, servindo de rota de navegação internacional, para além dos vários canais fluviais e ilhas inabitadas, que servem de espaços para a prática de diversos crimes.
Destacou a componente económica da região que deve ser protegida, realçando as zonas de produção petrolífera em onshore (terra) e offshore (mar), incluindo a sua base de apoio onde está implantada a fábrica de processamento do gás liquefeito “ Angola-LNG”.

Cabinda

No quadro do 10 de Julho, dia da Marinha de Guerra Angolana (MGA), o chefe do estado-maior do Comando Naval da Marinha de Guerra em Cabinda, Marcelo Gaspar de Carvalho, exigiu rigor, prontidão e coesão, tendo em vista a inviolabilidade das águas territoriais.

Ao falar em representação do comandante do Comando Naval Cabinda, Contra-Almirante, Fernando Jorge Gonçalves, Marcelo Gaspar de Carvalho referiu que o efectivo da MGA na região está engajando no asseguramento da costa marítima, sobretudo, a actividade de exploração petrolífera.

Por seu turno, o vice-governador de Cabinda, Macário Lembe, em representação do governador de Cabinda, Eugénio Laborinho, reconheceu o trabalho do Comando Naval Cabinda.

Sublinhou que o Estado angolano continua apostado na capacitação do efectivo deste ramo das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Namibe

No Namibe, o comandante da Marinha de Guerra Angolana naquela província, Assis José Neto, destacou, a propósito da data, o contributo da corporação da “Operação Transparência no mar”, uma acção que visa repor a ordem e a tranquilidade na orla marítima do país.

Assis José Neto realçou as acções formativas de quadros do sector em diferentes especialidades dentro e fora do país.

No mesmo acto, o governador em exercício do Namibe, José Chindongo António, reconheceu a responsabilidade que pesa sobre este ramo, o que obriga a elevação do nível profissional destes, por forma a estarem preparados para os novos desafios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.