A fabrica está localizada em Springdale, estado do Arkansas, e pertence à empresa americana de aves Tyson. O porta-voz da Tyson, Gary Mickelson, disse que a empresa estava a investigar a questão.

“É importante observar que a Organização Mundial da Saúde, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, o USDA e a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA concordam que não há provas que apoiem a transmissão do COVID-19 através dos alimentos”, disse à Reuters em mensagem eletrónica.

China também deixou de importar produtos suínos de uma empresa alemã, Toennies, na semana passada, depois que um surto de coronavírus foi ali registrado , afetando centenas de trabalhadores.

A China aumentou seu escrutínio dos alimentos que importa desde que um conjunto de casos de coronavírus esteve ligado a um mercado de venda por atacado de alimentos na capital, há mais de uma semana.

Pequim está sob bloqueio parcial, uma vez que foi confirmada uma nova onda de infecções por COVID-19 e intensificou o escrutínio de produtos importados.

Em novembro de 2019, a China levantou uma proibição que vigorou durante cinco anos simportações de aves dos EUA.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.