Em declarações à Inforpress, a presidente da ACLVBG, Maria Vicenta Fernandes, disse que a organização que dirige está a apoiar as empregadas domésticas de Cabo Verde na criação da sua associação.

“No trabalho que temos estado a desenvolver com as empregadas domésticas, elas manifestaram a necessidade de estarem agrupadas em associação, para juntas lutarem em defesa dos interesses da classe. Elas identificaram as suas necessidades e nós demos-lhes todo o apoio”, explicou.

Ainda de acordo com Maria Vicente Fernandes, a associação vai, em princípio, albergar empregadas domésticas de todo Cabo Verde. “Vão começar pela Cidade da Praia, mas o objectivo é chegar a todos os cantos do país”, ajuntou.

A primeira luta da futura associação, avançou a fonte da Inforpress, será pelo reconhecimento da classe, uma dificuldade que, segundo esta responsável, vem se arrastado há já algum tempo.

“Elas querem ter todos os direitos que os outros trabalhadores têm, nomeadamente a protecção social, férias, descanso, entre outros”, afirmou a presidente da ACLVBG acrescentando que a futura associação já tem um estatuto que irá ser aprovado no domingo, seguido de eleição de órgãos sociais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.