"Oferece-nos a oportunidade de voltar nesta assembleia a uma questão, já por nós abordada noutras circunstâncias, a do desmatamento provocado, sobretudo, com o corte ilegal de árvores para comercialização de madeira, parecia que se tinha estancado e posto um travão nesta situação", afirmou o presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), Filomeno Vieira Dias.

O arcebispo católico lamentou que "infelizmente" persiste a desmatação de florestas nas províncias do Moxico, no Cuando-Cubango, em Cabinda, no Uíje e no Bengo, de modo acentuado, e menos acentuado no Huambo e no Bié.

"Observamos a continuidade de práticas de devastação ambiental e florestais destruidoras da biodiversidade, dos ecossistemas e provocadoras do empobrecimento das populações", disse na abertura da segunda Assembleia Plenária ordinária dos bispos da CEAST.

Os bispos angolanos fizeram, na ocasião, um apelo "veemente" no sentido de adequar a "eficiência económica à protecção ambiental e à justiça social”.

“A questão da desmatação desenfreada tem consequências sociais elevadas que nem sempre temos presente", alertaram.

Filomeno Vieira Dias, também arcebispo de Luanda, assinalou na sua intervenção a relevância da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazónica, que decorre desde segunda-feira, no Vaticano, sob presidência do papa Francisco.

O Sínodo da Amazónia, observou, é um alerta para todo o mundo e grande actualidade para a África e para Angola, pois, referiu, o tema do ambiente e da ecologia "é um tema central e está em todas as agendas políticas, económicas e sociais dos nossos dias".

"O ambiente é o homem, dele depende o futuro do homem sobre a terra, por isso temos elevadas responsabilidades nesse domínio, poluir o ambiente é poluir a vida e comprometer o futuro da humanidade", afirmou.

O ambiente e a ecologia, à luz da carta apostólica "Laudato Si", do papa Francisco, o relatório das Comissões Episcopais, o Inquérito sobre a Igreja em Angola e a Protecção de Menores são alguns dos temas em discussão no encontro, que decorre até 14 de outubro na província angolana da Lunda Sul.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.