Segundo o oficial comissário, que falava por ocasião do 27º aniversário da Polícia de Segurança de Entidades Protocolares (PSEP), a complexidade das tarefas das forças da ordem exige um alto nível técnico e profissional.

A alta patente policial observou que a corporação deve granjear a confiança dos cidadãos, que devem encarar no agente da ordem “um protector e a quem podem recorrer sem receio sempre que necessário”.

A fonte referiu, ainda, que o efectivo da PSEP deve estar sempre em prontidão e melhorar os níveis de eficácia, para garantir a integridade física das diversas entidades nacionais e estrangeiras.

Exortou, com efeito, o efectivo a redobrar a prontidão e vigilância e abster-se de práticas que coloquem em causa o bom nome da corporação.

Em substituição da Unidade de Protecção das Individualidades Protocolares (UPIP), fundada a 30 de Junho de 1993, foi criada a Polícia de Segurança de Entidades Protocolares (PSEP), através do Decreto Presidencial nº 152/2019, de 15 de Maio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.