A baleia, que estava  em estado debilitado, aparenta ter cerca de oito toneladas e desconhece-se a sua proveniência, mas alguns especialistas adiantam que a mesma deve ter escapado dos seus progenitores vindos do norte, em direcção ao sul do mar.

Os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, bem como a Capitania do Porto de Namibe e técnicos do Ambiente foram accionados para devolver o mamífero ao mar.

O porta-voz dos Serviços de Protecção e Bombeiros, Câncio Bessa, disse à Angop que nesta operação foi usada uma tecnologia rudimentar, mas que permitiu devolver o mamífero ao mar.

Fontes do Ministério das Pesca no Namibe asseguram que este é o segundo caso que acontece, em menos de seis meses. O primeiro encalhamento de uma baleia aconteceu na baía do Tombwa, tendo sido resgatada, mas sem vida.

A Baleia Jubarte é um mamífero marinho da ordem dos cetáceos, “subordem Mysticeti .Regularmente é visto no litoral brasileiro, especialmente em Abrolhos – Baía. Pode alcançar até 16 metros de comprimento, pesando até 40 toneladas.