A delegação ao evento,  que é acompanhada pelo embaixador de Angola na Guiné-Bissau,  Daniel Rosa,  é chefiada pelo secretario de Estado para o ensino técnico profissional do Ministério da Educação,  Jesus Baptista.

Promovido pela RedeLuso, o acto deste  evento que congrega 400 delegados foi presidido  pelo conselheiro para a juventude do Presidente da República, Dito Max.

A decorrer durante cinco dias,  o fórum decorre  sob o lema "Crise Ecológica e Migrações: Leituras e Respostas da Educação Ambiental".

Os  técnicos  angolanos dos ministérios da  Educação e  do Ambiente,  assim como os  da missão  diplomática de Angola em Bissau,  participam de  vários  debates  sobre  a educação  ambiental  do  século XXI: Caminhos e  Desafios,  “educação ambiental  nos  equipamentos, conservação  e gestão  ambiental”  e  “a educação  ambiental no sistema  educativo”.

“A educação ambiental na valorização socioeconómica das comunidades locais" e "a educação ambiental como contributo para a conservação dos valores e saberes tradicionais", estão igualmente agendados.

A técnica Karelia Costa, do Ministério angolano do Ambiente, ira apresentar uma comunicação sobre o projecto “Minha Escola, meu Ambiente, Desafios e Perspectivas".

Por  sua vez, o docente José  Capitango do Instituto  Superior  de Ciências da  Educação  (ISCED) de  Luanda,  vai partilhar com os congressistas conhecimentos,  experiências e práticas vitais  tradicionais indígenas como fundamento para a construção global de uma cultura de sustentabilidade.

Religiosos, autoridades tradicionais e membros do corpo diplomático e organizações internacionais acreditados na Guiné-Bissau,  são entre outros convidados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.