Segundo pessoas que saíram ilesas, o acidente envolveu uma viatura Toyota Hiace que tinha como destino o município do Cubal e uma carrinha que vinha do sentido oposto.

“A carrinha tentava ultrapassar outra viatura e ficou sem margem de manobra, acabando por colidir frontalmente com o Hiace”, explicam.

A Angop apurou, no local, que os dois motoristas tiveram morte imediata, tendo o condutor da carrinha e um dos ocupantes do Hiace ficado encarcerados, devido ao forte embate.

O corpo de Bombeiros, que se fez prontamente ao local, levou três horas para desencarcerar as vítimas, enquanto o INEMA socorreu os feridos, tendo-os transportado para o Hospital Geral de Benguela.

Os cadáveres já foram removidos pelo Serviço de Investigação Criminal e encontram-se depositados na morgue do referido hospital.

Em declarações à Angop, o director provincial da Viação e Trânsito da Polícia Nacional, superintendente-chefe António Ngussi, disse, no local, que o excesso de velocidade e a não-observância das normas do Código de Estrada estiveram na base da colisão.

Segundo o responsável, a via está devidamente sinalizada com as linhas contínuas de marcha, pelo que só o erro humano justifica o trágico acidente em plena luz do dia.

António Ngussi aproveitou a oportunidade para apelar aos automobilistas, sobretudo aos que prestam serviços públicos, mais prudência e para evitarem o excesso de velocidade, no sentido de não ocorrerem acidentes desta natureza.

A Angop soube que o motorista da carrinha era uma autoridade tradicional, soba do bairro Agostinho Neto, zona sul da cidade de Benguela.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.