Segundo a agência Efe, a Xerox anunciou que retirou, em definitivo, a Oferta Pública de Aquisição (OPA), no montante de mais de 30 biliões de dólares para adquirir a HP, porque o novo coronavírus prejudicou a capacidade do fabricante de fotocopiadoras de realizar uma fusão que acabaria por criar uma dívida enorme.

Esta decisão põe fim a uma das maiores fusões em curso e evidencia o golpe que a pandemia da covid-19 tem neste tipo de operações.

A Xerox tinha anunciado em 13 de março que suspendia a operação temporariamente devido à pandemia da covid-19, tendo agora informado que suspendeu definitivamente o plano de aquisição da multinacional norte-americana HP.

A oferta de aquisição hostil lançada pela Xerox teve início em novembro do ano passado, depois de se saber que as duas empresas tinham previamente estudado uma fusão, que fracassou.

A HP rejeitou, repetidamente, várias propostas da sua rival nos últimos cinco meses, incluindo a mais recente oferta da Xerox de 24 dólares por ação e uma parte em dinheiro, que foi considerada insuficiente e muito arriscada devido ao valor da dívida envolvida.

A Xerox, cuja dívida de longo prazo ronda os três biliões de dólares, planeava contrair um empréstimo até 24 biliões de dólares para esta aquisição, com compromisso de o empréstimo ter, em parte, como garantia, a dívida a longo prazo da HP.

Esta ascende a cerca de quatro biliões de dólares, ou seja, 3,645 mil milhões de euros.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 828 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 41 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 165 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 458 mil infetados e mais de 30.000 mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 12.428 mortos em 105.792 mil casos confirmados até terça-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.