Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 0,89%, para os 27.024,80 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq valorizou 1,24%, para as 8.148,71 unidades, e o alargado S&P500 progrediu 1,00%, para as 2.995,68.

Depois de várias sessões dominadas pelas negociações comerciais sino-norte-americanas, a praça nova-iorquina recentrou a sua atenção nos resultados das empresas, cuja época de divulgação começou esta semana.

Quatro dos seis grandes bancos norte-americanos — JPMorgan Chase, Goldman Sachs, Citigroup e Wells Fargo — divulgaram hoje os respetivos resultados.

O seu desempenho, em termos de conjunto, foi uma surpresa agradável para os meios financeiros, que antecipavam o pior, devido a uma série de fatores negativos para o setor bancário, desde logo as taxas de juro baixas.

O JPMorgan Chase exibiu os resultados mais sólidos, caracterizados por uma forte subida do lucro e do seu volume de negócios. No final da sessão, o título apresentava uma valorização de 3,01%.

A mesma tendência foi apresentada pelas ações do Goldman Sachs, que ganhou 0,31%, do Citigroup (1,40%) e do Wells Fargo (1,70%), apesar de os resultados que apresentarem serem mais modestos.

“A subida de hoje apoia-se nos resultados. Se isto continuar, é bem possível que os índices superem em breve novos máximos”, antecipou Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities.

Outros nomes importantes de Wall Street viram as suas cotações avançarem depois de terem divulgado resultados superiores às expectativas, casos da seguradora do ramo de saúde UnitedHealth (8,16%) e o conglomerado farmacêutico Johnson & Johnson (1,62%), que integram a restritiva lista do Dow Jones.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.