Já começou aquela que é a feira mais importante de Angola, a FILDA, que trouxe a Luanda cerca de 600 expositores e outras centenas de possíveis investidores ao País. No discurso de abertura Aguinaldo Jaime, presidente da ANIP, convidou todos a investirem em Angola e lembrou que o Executivo está a preparar melhores condições para o investimento no País.

"Àqueles que estão em Angola, estrangeiros e nacionais, que querem aplicar o seu conhecimento e tecnologia", o presidente da Agência Nacional para o Investimento, ANIP, deixou duas mensagens: "Há uma nova lei aprovada recentemente, que se inscreve num movimento que tem estado a acontecer em vários países, emergentes e em desenvolvimento e que visa conciliar dois aspectos: por um lado remunerar justamente todos que decidam investir no nosso País, por outro queremos que o investimento privado se insira cada vez melhor na estratégia de desenvolvimento nacional".

"Para conseguir uma parceria em que todos fiquem a ganhar, tivemos que encontrar fórmulas inovadoras e diferentes".

Na sua segunda mensagem, Aguinaldo Jaime focou o facto de a ANIP estar a "fazer um esforço enorme para investir nas tecnologias de informação, para tornar os processos mais céleres, eficientes, à medida das expectativas do Executivo e à medidas das expectativas dos próprios investidores".

Matos Cardoso, presidente da FILDA enalteceu a importância da 28ª edição do certame, que "trará certamente bons negócios aos expositores e visitantes".

Sob o lema "Os desafios da atracção de investimento: Estratégia, Legislação, Instituições, Infra-estruturas e Recursos Humanos", Matos Cardoso acredita que a FILDA 2011 vai dar frutos no que toca aos objectivos patentes nesse mesmo lema.

Aguinaldo Jaime, Matos Cardoso, Abrãao Gourgel e Manuel Catraio inauguraram a FILDA 2011, com a convicção de que surgirão deste encontro bons acordos de negócios.

De realçar desde já o primeiro protocolo assinado entre a FILDA e a TPA, que prevê uma parceira mais forte entre a feira e o canal público de televisão.

Os expositores, a animação e o emprego temporário

O Brasil, com 33 expositores, é o convidado especial da FILDA, que tem cerca de 600 expositores, dos quais cem são portugueses, 22 espanhóis e 17 alemães. China, outro parceiro importante de Angola também está com forte presença.

França, Inglaterra, Estados Unidos da América, Tunísia, Índia, Itália, Noruega, África do Sul, Gana, Argentina e Quénia, completam o certame no que toca à presença estrangeira.

A festa continuou com um grupo de dança tradicional e música ao vivo.

A FILDA não é só o momento alto para os empresários, é também uma porta para quem procura trabalho e não tem tido sucesso.

À porta da feira estiveram centenas de pessoas durante todo o dia para colaborar no evento, que proporciona durante cinco dias ocupação remunerada aos luandenses.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.