O governante, que falava no acto de abertura da 31º reunião do Registo Regional de Internet para África (Afrinic), disse que Angola tem definido uma estratégica nacional para as tecnologias de informação e comunicação  reflectidas no Livro  Branco das telecomunicações, que prevê um conjunto de acções até 2022.

O  ministro referiu que o lema “Elevar próximo o nível de desenvolvimento da internet em África através de politicas colaboração e  educação” demonstra o compromisso das organizações africanas  no  engajamento  da promoção baseada no principio da  acessibilidade.

“Podemos perceber o quão a internet  é uma  infra-estrutura  que facilita o processo de comunicação, colaboração e cooperação entre indivíduos de organizações localizadas em diferentes pontos. É  elemento crucial para a implementação  dos objectiva para o desenvolvimento do  continente “, disse.

Em seu discurso, sublinhou a necessária de não se impedir o acesso das pessoas aos  software e hardware  por permitirem a conexão com as  estruturas  governativas, entidades privadas e as organizações representativas.

De acordo com José da Rocha, o Executivo angolano tem desenvolvido acções no sentido de uma maior abertura de mercado das comunicações electrónicas bem como um maior investimento de infra-estrutura, a exemplo do projecto Sap e o Programa Angosat .

José Carvalho da Rocha exortou a todos os participantes  a juntarem  a  nova tarefa  de forma a colocar África em referência na aplicação  do projecto de formação para  edificar uma sociedade moderna e inclusiva e poder fazer uso  da internet  cada vez mais e servir para o desenvolvimento das  comunidades e bem estar das nossas populações.

Participam do evento, que termino dia  6 de Dezembro, representantes dos diversos países africanos .

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.