Em declarações, a propósito dos preparativos do evento que vai decorrer de 26  a 30 deste mês, na Baía de Luanda, Manuel Novais sublinhou que  30 porcento das empresas estrangeiras são portuguesas, onde Portugal aparece com 20 e o Brasil com dez.

 

Os países confirmados começam a chegar terça-feira (25) ao país, estando Portugal a ser representado nesta edição pela Associação empresarial de Portugal e  a  Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep),  enquanto o Brasil será  coordenado  pela  Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil).

 

Pretende-se  com o evento tornar Angola num país  exportador e  auto-suficiente, uma vez que já possui empresas que estão a produzir localmente e precisam de mostrar as suas potencialidades.

 

A 33ª edição da Filda, que este ano terá lugar na Baía de Luanda, numa área de 16 mil metros quadrados,  é organizada do  Ministério da Economia.

 

A 32ª edição da Feira Internacional de Luanda que aconteceu em 2015,  nas  instalações da Expo-Angola, situadas no município do Cazenga, movimentou um volume de negócios estimado em 11 milhões de dólares norte-americanos.

 

 

 

 

 

TPA com Angop

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.