"Podemos hoje afirmar que o país conta com uma indústria transformadora tecnologicamente desenvolvida e competitiva, com capacidade para apresentar bons índices de competitividade em muitos dos seus subsectores e com capacidade para produzir produtos com qualidade e que respondem às necessidades do mercado", afirmou Ivan do Prado.

O governante discursava na cerimónia de abertura da 4ª edição da Expo-Indústria 2019 de Angola, que contou com a presença do Presidente angolano, João Lourenço.

A feira, que conta com a participação de mais de 300 expositores nacionais, decorre até sábado, na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo, com o objectivo de promover a produção nacional.

Segundo o secretário de Estado da Indústria, ao longo dos últimos anos, Angola e os seus empresários têm vindo a trabalhar arduamente para fazer crescer o sector industrial.

O governante angolano citou o sector dos produtos alimentares como um dos mais desenvolvidos, exemplificando a farinha de trigo e de milho, as bolachas, os iogurtes e as massas alimentares, bem como os sectores dos materiais de construção e das bebidas.

"Angola começa a ser sinónimo de indústria, que é por si sinónimo de qualidade e de inovação, assim como de capacidade de resposta e de compromisso. E ser industrial em Angola, é também sinónimo de capacidade de luta, de abnegação e de uma capacidade férrea de contribuir para fazer o país andar para a frente", frisou.

Ivan do Prado sublinhou ainda os esforços empreendidos pelo executivo angolano para melhorar o ambiente de negócios e toda a situação económica do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.