De acordo com governador do BNA, metade deste dinheiro (15 mil milhões de dólares), são depósitos de bancos comerciais e instituições financeiras angolanas junto dos seus correspondentes no exterior, com base em dados da balança de pagamento compilados pelo Banco Internacional de Settlements (BIS).

Outra metade, segundo o governador, que falava à margem do encerramento do seminário sobre o combate à corrupção, nepotismo e branqueamento de capitais, promovido pelo MPLA, corresponde aos depósitos de entidades não financeiras, como o Tesouro Nacional, Fundo Soberano de Angola, empresas públicas e particulares.

Outra matéria que mereceu destaque foi o garantia de que o Executivo continuará a canalizar fundos necessários ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), para que esta instituição financeira possa alavancar investimentos públicos, visando a melhoria do ambiente de negócios no país.

Com a alavancagem dos investimentos públicos, além da melhoria do ambiente de negócios, o Executivo pretende, segundo o secretário de Estado da Economia e Planeamento, Manuel Neto da Costa, que o investimento privado realizado no país tenha sucesso.

No sector dos transportes, mereceu destaque a afirmação do presidente do conselho de administração do Porto de Luanda, Alberto Bengue, segundo a qual a empresa portuária espera movimentar até final deste ano oito milhões de toneladas de mercadorias diversas.

Embora tenha calculado uma produção na ordem dos oito milhões de toneladas de mercadorias, o gestor disse à Angop que o mais provável é que a quantidade seja homóloga a de 2016  7,1 milhões de toneladas.

Avançou que há ainda muita carga a chegar ao país e logo que tiverem todos os registos sobre a produção portuária compilados farão um balanço mais substancial sobre a actividade da empresa em 2017.

A semana ficou igualmente marcada pelo facto da taxa de inflação, medida pelo Índice de Preços do Consumidor Nacional (IPCN), registar, entre Outubro e Novembro de 2017, uma variação de 1,4 porcento, um valor baixo em relação ao do período homólogo de 2016 que se situou em 2,29 porcento.

A taxa de inflação acumulada dos últimos 12 meses ronda os 25 porcento, quando a meta do Governo era de 15,8 porcento.

De acordo com a Folha de Informação Rápida  do Índice de Preços  no Consumidor  Nacional (IPCN),  publicado  pelo  Instituto Nacional de Estatística (INE),   referente   ao mês de Novembro de 2017, a classe  “Vestuário e Calçado”  foi a  que maior  aumento de preços  registou com  1,99%. Em relação às finanças públicas, a Administração Tributária anunciou ter arrecadado nos últimos 10 meses pelo menos 1,1 trilião de kwanzas em receitas fiscais.

O gestor disse que em relação aos objectivos traçados para este ano, a arrecadação de receitas fiscais está a seis porcento abaixo do traçado.

Deste valor, os grandes contribuintes, integrados por mais de 350 empresas provenientes fundamentalmente dos sectores financeiros, diamantífero, telecomunicações e petrolífero, representam um peso de aproximadamente 76 porcento da receita fiscal, merecendo um tratamento diferenciado e personalizado por parte da AGT.

Também foi destaque o anúncio segundo o qual, a Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), localizada em Cacuso, província de Malanje, prevê produzir, no próximo ano, 100 mil toneladas de açúcar, 20 mil metros cúbicos de etanol e gerar 146 megawatts de energia eléctrica, quando a safra deste ano (2017) não foi além de 58 mil e 102 toneladas de açúcar.

Para  atingir esta  produção de 100 mil toneladas em 2018, a Biocom  prevê  colher cerca de  900 mil  toneladas  de cana.

A  empresa produziu  de Junho  a  Dezembro  deste ano  58 mil  e 102  toneladas  de açúcar (contra  51 mil e  515 toneladas em 2016), 12 mil e 094 metros  cúbicos  de etanol  e gerou  62 mil 617 megawatts  de energia  eléctrica e colheu  567 mil toneladas  de cana.

Este resultado  é reflexo do  investimento que a empresa  fez  em alta tecnologia para aumento da produtividade.

As  estimativas  para este  ano apontavam  para  uma produção  na ordem das  63 mil toneladas  de açúcar,  mas factores  ligados à seca  (falta de chuva) e  a avaria  de  um motor de 20 toneladas fizeram com que  a empresa não atingisse a quantidade projectada.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.