“Este acordo comercial, quando for assinado e entrar em vigor, vai permitir continuar os fluxos comerciais depois do Brexit sem barreiras adicionais”, comentou a secretária do Comércio Internacional, Liz Truss, acrescentando que “para além de beneficiar os empresários britânicos, o acordo vai também ajudar os países em desenvolvimento a reduzir a pobreza através do comércio, crescendo as suas economias, criando empregos e aumentando o rendimento para os seus cidadãos”.

O acordo em preparação com a África do Sul, Botsuana, Namíbia, Essuatíni (antiga Suazilândia) e Lesoto, que constituem a União Aduaneira da África Austral, a que se junta Moçambique (SACU+M) representa 9,7 mil milhões de libras (cerca de 10,8 mil milhões de euros), “permite a continuação do comércio em termos preferenciais e estende as bases para mais comércio e investimentos no futuro”, lê-se no comunicado do Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Governo britânico.

O acordo dá continuidade ao conjunto de documentos já assinados ou em preparação que abarcam comércio internacional no valor de 89 mil milhões de libras, quase 100 mil milhões de euros, negociados no seguimento da decisão do Reino Unido de sair da União Europeia.

MBA // JH

Lusa/FIm

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.