A informação foi avançada nesta quarta-feira à ANGOP pelo director municipal da Agricultura, Pecuária e Pescas, Pedro Aguiar, explicando que o fogo consumiu quantidades consideráveis de culturas de mandioca, jinguba, feijão macunde, gergelim, citrinos, entre outros produtos das localidades de Mantanga e Sereia.

De acordo com a fonte, as queimadas neste período de cacimbo são recorrentes a nível da circunscrição, frisando que na época agrícola passada (2019), 30 dos 80 hectares de campos cultivados foram igualmente devastados pelas queimadas, provocando avultados prejuízos aos agricultores locais.

“Temos levado a cabo acções de sensibilização junto das comunidades para desencorajar esse mal que tem provocado prejuízos incalculáveis aos nossos camponeses”, referiu a fonte, para quem esta situação pode indiciar penúria alimentar às famílias afectadas.

Informou que o sector da Agricultura, Pecuária e Pescas na localidade gizou um programa de apoio às famílias camponesas afectadas, que consiste na distribuição de inputs agrícolas e sementes.

O município do Soyo é potencialmente agrícola, sendo a mandioca, milho, feijão, gergelim, jinguba, cintros, entre outros, os produtos mais cultivados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.