A garantia é do empresário Domingos David, em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, na qualidade de operador autorizado e financiado para a importação de fertilizantes para a província, no âmbito das medidas imediatas de alívio dos efeitos económicos e financeiros negativos provocados pela Covid-19, aprovadas pelo Decreto Presidencial nº 98/2020, de 09 de Abril.

De acordo com o responsável, trata-se doprimeiro lote a ser descarregado no Porto do Lobito (Benguela), no princípio da segunda quinzena deste mês, oriundo do Reino de Marrocos, com 20 mil toneladas.

Assegurou que todos os procedimentos de ordem administrativas estão a ser cumpridos junto das instituições financeiras e outras afins, para que a referida quantidade de fertilizantes chegue dentro dos prazos estipulados e assegure o arranque da época agrícola na região.

Para garantir a distribuição equitativa do produto aos camponeses da província, Domingo David defendeu a criação de um plano de distribuição às cooperativas e associações agrícolas, no sentido de reduzir os custos de aquisição e de produção.

Quanto as restantes toneladas, para perfazer 12 mil toneladas, chegarão à província através dos próximos barcos nos meses que se seguem.

Para além do adubo químico 12-24-12, Domingos David disse ter sido autorizado e financiado para importar seis mil toneladas de sulfato de amônio e de ureia, perfazendo um total de 18 mil toneladas de fertilizantes diversos para a província, com vista a suprir as necessidades que os camponeses da região enfrentam.

Recentemente, o director do gabinete provincial da Agricultura do Governo da província do Huambo, Tony Camati, fez saber, em declarações à imprensa, que a região, situada no Planalto Central do país, necessita, em média, de 80 mil toneladas de fertilizantes todos os anos para poder atender as mais de 247 mil famílias camponesas controladas.

Isto, acrescentou o responsável, permitirá que cada uma delas receba 400 quilos para cultivar um hectar e ter como resultado quatro toneladas de produção.

Entretanto, referiu que o governo Central e da província possuem dificuldades financeiras, tendo em conta a actual conjuntura macroeconómica que o país vive, para garantir a sua disposição em grandes quantidades e de forma regular aos camponeses, de modo a desenvolvem com normalidade a sua actividade.

Só a título de exemplo, referiu que durante a campanha agrícola anterior, o Huambo tinha sido apenas contempladas com uma quantia abaixo das quatro mil toneladas.

Por este facto, Tony Camuti defendeu uma novas abordagens na busca de soluções  para a as necessidades fertilizantes químicos, na sensibilização dos camponeses para o uso de adubos orgânicos, em função das dificuldades financeiras que o país enfrenta, visando a garantia da produção agrícola.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.