"Volvidos 40 anos de existência da nossa organização [SADC], continuamos a envidar esforços para alavancar o crescimento económico que seja sustentável e equitativo para os cidadãos dos Estados-membros", lê-se numa mensagem de Filipe Nyusi por ocasião da 40.ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo e do 40.º aniversário da fundação da SADC.

Para o chefe de Estado moçambicano, o crescimento económico sustentável e equitativo na região passa por uma abordagem de integração democrática e participativa, um "pré-requisito essencial" para o desenvolvimento de uma cadeia de valores regional.

Moçambique assume, na próxima segunda-feira, a presidência em exercício da Comunidade de SADC na cimeira anual da organização, que este ano decorre em formato virtual por causa da pandemia de covid-19.

"Esta cimeira coincide com as comemorações do 40.º aniversário da fundação da nossa organização regional, e ocorre num contexto e circunstâncias em que os nossos países precisam de redobrar os esforços com vista à implementação da Estratégia e Roteiro de Industrialização, o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as metas definidas na Agenda 2063 da União Africana", refere, na mensagem, o chefe de Estado moçambicano.

As reuniões arrancaram hoje com o encontro do Comité Permanente de Altos Funcionários da SADC e encerram na sexta-feira, com a cimeira da ‘troika’ que gere a organização.

A atual ‘troika’ da SADC é constituída por John Magufuli, Presidente da Tanzânia, como atual Presidente em exercício da SADC, pelo seu antecessor, Hage G. Geingob, chefe de Estado da Namíbia, e por Filipe Nyusi, na qualidade de novo Presidente da comunidade regional.

A cimeira de chefes de Estado e de Governo decorre na segunda-feira.

Moçambique acolheu pela última vez uma cimeira da SADC em 2012, sob a presidência do antigo chefe de Estado Armando Guebuza.

As cerimónias de abertura e encerramento da cimeira serão transmitidas em direto pela Televisão de Moçambique (TVM).

A SADC é uma organização integrada por 16 Estados-membros estabelecida em 1980, como Conferência de Coordenação do Desenvolvimento da África Austral (SADCC) e, mais tarde, em agosto de 1992, transformada em Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

A organização visa promover o crescimento e desenvolvimento socioeconómico da região com o objetivo de assumir "um papel mais competitivo e efetivo nas relações internacionais e na economia mundial".

África do Sul, Angola, Botsuana, Comores, República Democrática do Congo, Essuatíni, Lesoto, Madagáscar, Ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabué são os Estados-membros da SADC.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.