No encerramento do Fórum Económico Portugal - Angola, que decorreu esta manhã na Alfândega do Porto, João Lourenço pediu aos empresários para que ajudem a explorar “as imensas riquezas” existentes em Angola, país que oferece “vastas oportunidades de negócio”.

“Reiteramos o nosso convite permanente para a necessidade do reforço do investimento privado direto de empresas portuguesas no nosso país”, disse.

O Presidente angolano pretende que o relacionamento entre os dois países “não se restrinja apenas ao comércio”, desejando “investimentos de médio e longo prazo em sectores chaves da economia” definidos pelo Governo angolano para o período 2018-2021, como o turismo, a agricultura e a indústria.

“Exorto a classe [empresarial portuguesa] a reorientar os seus interesses e investimentos [em Angola] essencialmente para estes domínios”, afirmou.

João Lourenço garantiu que "Angola tem hoje uma nova visão sobre o papel e a importância do sector empresarial privado e do investimento estrangeiro” na sua economia.

“Temos consciência que o grau de evolução e competência de vastos e variados sectores da sociedade portuguesa, seja no domínio tecnológico, de gestão, de formação académica e de investigação, podem e muito potenciar o envolvimento ente as duas economias”, sublinhou.