Em declarações à Angop, quando fazia  analise  do evento que encerrou as portas hoje, depois de Portugal vencer a categoria de melhor representação internacional, sublinhou que foram realizadas reuniões produtivas com profissionais de diversas áreas, acreditando que os resultados pretendidos serão registados  a curto, médio e longo prazo.

 Frisou que pretendem  manter e melhorar as relações bilaterais, aumentar o fluxo e a balança comercial entre os dois países, tendo em conta o facto de Angola e Portugal serem países irmãos.

“Queremos apoiar Angola no seu desenvolvimento e para isso as empresas nacionais têm um papel exemplar nesse desenvolvimento”, disse. Tiago Pereira realçou que Portugal participou na Filda/2017 com mais de 17 empresas de vários sectores, onde destacam-se o agro-alimentar, equipamentos para construção, engenheira, papelaria.

, “sectores com competitividade e com valor acrescentado em Portugal e muitos já têm relações comerciais com o mercado Angola e matêm relações próximas com o objectivo de aumentar.”afirmou.

A 33ª edição da Feira Internacional de  Luanda, que terminou neste domingo, decorreu sob o lema "Diversificar a economia e potenciar a produção nacional, visando uma Angola auto-suficiente e exportadora". O evento, realizado pela primeira vez na Baía de Luanda, cartão postal da cidade capital, contou com a participação de mais de dez países convidados, entre os quais Portugal, China, Brasil e Alemanha. A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) venceu o grande prémio da 33ª edição da Feira Internacional de Luanda (Filda), promovida pelo Ministério da Economia, em parceria com a empresa Eventos Arena. Das 21 categorias premiadas, Portugal, através da Associação das Empresas Portuguesas (AEP), foi o vencedor da categoria de melhor representação internacional.  

 

 

Angop

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.