O resultado negativo obtido entre os meses de janeiro a junho reverteu o lucro registado pela companhia no mesmo período do ano passado, quando obteve 22,8 mil milhões de reais (3,8 mil milhões de euros).

A Petrobras informou que os resultados foram afetados por perdas registadas no primeiro trimestre do ano, que totalizaram 48,5 mil milhões de reais (7,9 mil milhões de euros) devido do colapso económico causado pela pandemia. No mesmo período do ano passado, a estatal brasileira obteve um lucro de quatro mil milhões de reais (660 milhões de euros).

No segundo trimestre de 2020, a Petrobras registou perdas de 2,7 mil milhões de reais (440 milhões de euros), revertendo o lucro 18,8 mil milhões de reais (três mil milhões de euros) alcançado no mesmo período de 2019.

Numa carta que acompanha o balanço, o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, frisou que “a eclosão de uma crise global de saúde causou uma recessão global profunda e sincronizada que afetou severamente a indústria global de óleo e gás”.

Segundo Roberto Castello Branco, a pandemia afetou particularmente o setor em que a Petrobras atua porque os preços do petróleo Brent que eram de 65 dólares (54,4 euros) por barril em fevereiro caíram para 19 dólares (16 euros) em abril de 2020 devido à contração de 25% na procura global, desencadeando uma paragem a súbita nos fluxos de caixa.

Neste cenário de desvalorização do petróleo no mercado global, a estatal brasileira adiantou que só não registou um prejuízo maior em razão do julgamento de uma ação judicial sobre pagamentos de impostos do qual saiu vencedora e que teve um efeito positivo no lucro da empresa estimado em 10,9 mil milhões de reais (1,8 mil milhões de euros).

“Excluindo esses fatores, o resultado teria sido pior devido aos impactos da covid-19 nas nossas operações, com reflexo nos preços, margens e volumes”, refere.

A receita da Petrobras nos seis primeiros meses do ano foi de 126,4 mil milhões de reais (20,7 mil milhões de euros), uma descida de 11,9% face ao resultado do ano anterior (143,4 mil milhões de reais ou 23,4 mil milhões de euros).

A Petrobras acrescenta que em relação ao mercado externo as exportações de petróleo para a China recuaram no primeiro trimestre do ano, mas cresceram significativamente no segundo trimestre.

Com a retomada das atividades entre abril e junho, a China tornou-se o destino de 87% das exportações de petróleo da estatal brasileira.

Nos seis primeiros meses de 2020, a China foi destino de 69% das exportações de petróleo da Petrobras.

A empresa brasileira destacou ainda que o choque global a forçou a interromper a desalavancagem da dívida, que encerrou o final do primeiro semestre deste ano em 91,2 mil milhões de dólares (14,9 mil milhões de euros).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.