O turismo, aviação civil e agricultura serão os setores mais afetados, antecipa a principal associação patronal moçambicana, num estudo a que a Lusa teve hoje acesso, em que sugere que os subsídios sejam financiados pelos parceiros de cooperação.

“Propõe-se a suspensão dos contratos de trabalho nestes setores, por um período de seis meses, sujeito a prorrogação dependendo da evolução da pandemia nos próximos meses”, defende a CTA no documento elaborado com apoio da cooperação norte-americana (Usaid).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.