O técnico sustentou a sua afirmação dizendo que hoje alguns gestores públicos já têm mais cautela na gestão do orçamento e na contratação, pois “já não se contrata como antigamente”.

Nteka Panzo disse que hoje existem novos mecanismos que os gestores observam para contratar algum serviço e há mais disciplina da parte dos que administram a coisa pública.

Hoje estamos a caminhar bem, sublinhou o consultor, realçando que mesmo os países muito avançados não deixam de levantar questões à volta dos mecanismos de controlo.

Segundo o especialista, embora se esteja a caminhar bem não deva de haver acomodação, “porque os infractores têm tendência de desviar-se. Eles estudam os mecanismos de controlo para ver até que ponto conseguem ultrapassar as barreiras e cometer uma fraude”.

Por isso, prosseguiu a fonte, temos a necessidade permanente de avaliar o nosso próprio mecanismo de controlo para ver se ainda continua a responder aos desafios do momento e caso tenham alguma insuficiência temos que corrigir para ver se mantemo-lo a corresponder às nossas necessidades.

Falando à imprensa, à margem do Workshop sobre “Gestão da despesa pública” , realizado pelo Ministério das Finanças, Nteka Panzo, considerou a “transformação da velha para uma nova Angola já dá sinais de melhoria em termos de execução da despesa pública, diversificando a economia nacional no quadro da Contratação Pública.

Contando sua experiência como controlador, disse que  no primeiro contacto com os gestores observou algumas situações que hoje estão corrigidas. É o dos contratos fora de vigência mas que continuavam a ser pagos.

A contratação pública é um instrumento que garante a eficiência e eficácia na gestão do orçamento público.

O consultor Nteka Panzo é também coordenador do grupo de trabalho de controladores financeiros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.