Ao falar à imprensa, o ministro disse que a nova central térmica, erguida no bairro Social da Juventude, arredores da cidade do Luena, vai aumentar significativamente a produção de energia na região.

João Baptista Borges explicou que o sector pretende igualmente, instalar oito postos de transformação de energia eléctrica e expandir a rede de distribuição, com vista a efectuar mais de 11 mil ligações domiciliárias.

O sector prevê ainda construir, na cidade do Luena, uma central solar (foto voltaica), com vista a reduzir os custos na obtenção de combustíveis.

Para os demais municípios do Moxico, disse que o ministério pretende implementar energia solar, além da intenção da República da Zâmbia fornecer, nos próximos tempos, energia nos municípios transfronteiriços.

Para minimizar a situação energética nos municípios do Alto Zambeze e do Léua, o governante disse que será desactivada  uma central térmica do Luena, para ser montada numa destas localidades.

Entretanto, reiterou a necessidade de estender a rede das 10 províncias angolanas interligadas no sistema de electrificação, para as novas cidades capitais e sedes municipais, no âmbito do Plano de Desenvolvimento Nacional e das acções do Ministério.

Quanto à água, informou que serão realizadas 15 mil ligações, com a extensão da rede de distribuição, depois da conclusão do programa de combate às ravinas e desassoreamento dos rios Luena e Lumege, para uma melhor captação e distribuição deste liquido.

Durante a sua estada no Luena, João Baptista Borges visitou a nova central térmica, de 20 MW do bairro Social da Juventude, os sistemas de captação de água construídas às margens dos rios Lumege e Luena, o projecto habitacional de 450 residências, entre outros empreendimentos.

Hoje, terça-feira, o ministro está a trabalhar nos municípios de Camanongue (Moxico) que dista 52 quilómetros a norte da cidade do Luena e Dala (Lunda Sul), cerca de cem quilómetros do Luena.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.