Com duas empresas de processamento - a Pes-Sul e a Nova Vida - , a indústria de conservas de peixe do município do Tombwa, paralisada há três semanas, é a única na região sul de Angola que tem abastecido conservas de atum, sardinha e cavala, com uma capacidade de produção por dia de 125 mil latas.

“Desde Dezembro que pedimos a licença e nunca mais tivemos resposta”, lamentou um dos responsáveis de uma das empresas, que admitiu o eminente despedimento de mais de 200 trabalhadores, todos chefes de família, caso a fábrica continue paralisada.

O Governador do Namibe, Archer Mangueira, esteve recentemente no município piscatório do Tombwa e descreveu a situação como muito preocupante.

“Temos estado a intervir junto da Direcção do comércio e Indústria para que o tema relacionado com o licenciamento da matéria-prima, neste caso o óleo alimentar, seja um tema de fácil e rápida resolução”, reagiu o governante, que sublinhou durante a visita aquela unidade fabril ter recebido a garantia do Ministro do Comércio e Indústria de que o caso seria resolvido o mais breve possível.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.