O governante, que falava quarta-feira, no encontro com os empresários do ramo florestal, disse ter já reunido com a associação dos madeireiros, em Luanda, e pediu-lhes alguma paciência porque tudo está a ser feito para o arranque em breve do ano florestal.

Marcos Nhunga sublinhou a necessidade de uma gestão sustentável dos recursos florestal, tendo em vista as futuras gerações e aproveitou a ocasião para pedir a compreensão dos empresários.

Durante a sua visita de três dias a Cabinda, Marcos Alexandre Nhunga vai hoje deslocar-se ao município de Buco-Zau, onde vai visitar as residências para técnicos expatriados, os viveiros das culturas de café, cacau e palmar e a brigada técnica do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF).

Ainda no Buco Zau, o ministro deverá deslocar à comuna do Necuto para a fazenda de cacau da Mota-Engil e seguir depois para a comuna do Tando Zinze, município de Cabinda.

Sexta-feira, o ministro vai trabalhar no município de Cacongo onde poderá visitar a serração da empresa HAL, as residências para técnicos expatriados, o viveiro de Tando Nzabi, plantação de Caumassabi, o palmar da dona Josefina Malonda e a plantação da HAl.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.