Em Agosto último, o sector beneficiou de 21 novos autocarros de transportes públicos regulares (de origem brasileira), devidamente equipados, com capacidade para 62 lugares, dos quais seis foram entregues a duas operadoras, nomeadamente a Orcalves e a Jobita Transportes Lda, que laboram com seis, a razão de três cada, enquanto outros aguardam por novos operadores.

A preocupação foi manifestada hoje à Angop, no Lubango, pela directora do Gabinete dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana, Gracinda Gonçalves, no quadro das comemorações dos 43 anos da institucionalização do Dia dos Transportes em Angola (23 de Novembro).

Segundo a responsável, neste momento, foram criadas 156 paragens com abrigos, para acolher o passageiro que, eventualmente, fica à espera do transporte.

Referiu que estudos estão feitos junto da administração municipal, a fim de ampliar as paragens e de melhor situar o passageiro sobre as rotas dos autocarros.

Com a requalificação da cidade do Lubango em curso desde 2017, bem como dos aspectos virados para a densidade populacional, haverá necessidade de se aumentar o número de autocarros urbanos, disse a fonte.

Aludiu que a questão do transporte urbano colectivo do Lubango não pode ser somente vista na perspectiva do transporte rodoviário, deve ser vista também o ferroviário.

“O Governo está empenhado na aquisição de mais autocarros, para que estejam cada vez mais à altura de dar resposta às necessidades dos cidadãos. Vamos continuar a trabalhar para oferecer melhor serviço às populações”, prometeu.

Admitiu que, com o lançamento, em 2020, de 15 novos autocarros, a situação estará mais aliviada, numa cidade com 903.564 habitantes.

Na sua base de dados, o Gabinete conta com mil e 388 táxis, os chamados candongueiros.

O 23 de Novembro é considerado "Dia dos Transportes em Angola", por ter sido nesta data, no ano de 1976, que foi instituído, por Decreto, o Ministério dos Transportes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.