Dimon disse à rede ABC que o presidente americano Donald Trump, com quem trocou críticas nesta semana, merece uma "nota muito boa" pela forma como conduz a economia do país, destacando que a confiança das empresas e dos consumidores "disparou" após a sua eleição há quase dois anos."O sistema bancário é muito, muito, muito saudável. E os reguladores estão de parabéns porque (o colapso de) Lehman não aconteceria agora", disse.

"Outra recessão ocorrerá algum dia, mas não virá do sistema bancário. Provavelmente tratar-se-á de outra coisa", acrescentou.

Lehman Brothers, um respeitado banco de investimentos de Wall Street, declarou-se em quebra em 15 de setembro de 2008, no meio de uma crise de liquidez pelo crescente default de créditos imobiliários de risco (subprimes), resultando uma queda nos mercados que colocou em risco o sistema financeiro global.

Dimon, que estava no mesmo cargo em 2008, destacou que "nem todos os bancos precisavam" das milionárias ajudas governamentais destinadas a salvar o sector, enquanto defendeu o enorme plano americano de recapitalização (TARP).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.