A intenção foi reafirmada por Hironori Sawada, quando discursava na cerimónia comemorativa do 85.º aniversário natalício do imperador Akihito que, em abril de 2019, cessará o mandato herdado pelo pai, Hirohito, em 1989.

Sawada, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, lembrou que, à margem da reunião ministerial da Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento de África (TICAD), realizada em outubro, em Tóquio, o chefe de diplomacia angolana, Manuel Augusto, abordou com o seu homólogo nipónico, Taro Kono, o reforço das relações bilaterais entre os dois Estados, bem como assuntos de relevância internacional.

Na intervenção, Sawada sublinhou os atos que o Presidente angolano, João Lourenço, tem levado a cabo, com realce para as reformas económicas e administrativas, destacando o combate à corrupção ou a criação de um melhor ambiente de negócios "que propicie a atração de investimento, na perspetiva da diversificação e estabilização da economia nacional".

"Convicto de que esses esforços deem resultados positivos, o Japão dispõe-se em reforçar as relações entre os dois países, e é neste sentido que se têm vindo a multiplicar as visitas mútuas de entidades políticas e governamentais", disse, indicando que as relações diplomáticas entre ambos datam de 1976.

O embaixador lembrou que, em agosto de 2019, a cidade japonesa de Okayama vai sediar a VII Conferência Internacional de Tóquio para o Desenvolvimento de África, evento para o qual as autoridades nipónicas "aguardam com ansiedade" a participação de João Lourenço.

"Esperamos que, com a visita presidencial, as relações entre as duas nações se fortalecem ainda mais", augurou Sawada, salientando que o Japão tem envidado esforços para alargar o seu relacionamento com Angola, tanto no setor privado, como no da cooperação governamental.

O diplomata japonês referiu que a Agência de Cooperação Internacional do Japão tem estado a promover a cooperação com o Governo angolano nos setores da educação, saúde, agricultura, indústria, energia e infraestruturas, através de apoio financeiro, transferência de tecnologia e informação económica.

Sawada acrescentou que o Japão tem dado relevância à "segurança humana" do povo angolano, trabalhando com parceiros nacionais e internacionais, com vista a promover o desenvolvimento socioeconómico sustentável, decorrente das atividades nos ramos da desminagem e da assistência aos necessitados, entre outras áreas.