“O Índice de Preços no Consumidor Nacional registou uma variação de 1,21%, durante o período de Julho a Agosto de 2018″, lê-se no documento divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que dá conta ainda de que “a variação homóloga situa-se em 18,56%, registando um decréscimo de 6,62 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior.

A classe "Alimentação e Bebidas não Alcoólicas" foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, diz o INE, apontando para os 0,55 pontos percentuais de aumento durante Agosto, seguida das classes "Vestuário e Calçado", com 0,14 pontos percentuais, ‘Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção’ com 0,11 pontos percentuais, e “Bens e Serviços Diversos” com 0,10 pontos percentuais.

Em termos geográficos, “as províncias que registaram maior aumento foram o Bengo com 1,82%, Cuanza Sul com 1,75%, Malanje com 1,68% e Uíge com 1,59%”, ao passo que no outro extremo estiveram as províncias de Lunda-Sul com 0,70%, Namibe com 0,79%, Cabinda com 0,90% e Huíla com 0,94%.

Em 2016, a inflação nacional (12 meses) ultrapassou os 40% e no ano seguinte os 30%.