Os dois estabelecimentos proibidos de exercer actividades comerciais devem pagar, num período de quatro dias, uma multa no valor de 600 e 193 mil kwanzas cada.

O Inadec deu também entrada, este mês, a um processo-crime à Procuradoria Geral da República local, contra o Instituto Superior Politécnico Privado do Luena (ISPP), por aumentar o preço das propinas e outros emolumentos sem anuência dos órgãos reguladores.

Em declarações à Angop, o chefe dos serviços locais do Inadec, Jacob Cachipa, disse que por meio de uma denúncia e visitas de rotina, a instituição registou três transgressões económicas, que culminaram em multa.

Explicou que o Inadec trabalha numa comissão multissectorial integrada por técnicos do gabinete provincial de Inspecção e do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.